Como uma criança aprende a andar e, posteriormente, até a correr? Através de pequenos passos ou baby steps. Ela dá um passo de cada vez, sente segurança, observa como seu corpo se comporta e então redireciona para o próximo passo. A analogia é tão simples (Práticas de Startups que os e-commerces deveriam aplicar) e verdadeira que muitas Startups aplicam isso em suas concepções de modelos de negócio ou produtos. Não muito distante, o conceito também é a base de práticas como o TDD (Test Driven Development) uma técnica que prevê a criação de testes de software antes mesmo de escrever qualquer linha de código. Apesar do conceito ser muito plausível, colocá-lo em prática exige habilidades de liderança, orientação e foco, além de organização prévia para saber exatamente onde você quer chegar.

Práticas de Startups que os e-commerces deveriam aplicar

Práticas de Startups que os e-commerces deveriam aplicar

Para isso vemos que o “Baby Steps” podem ser encarados como uma maneira de obter feedback rapidamente sobre uma situação complexa e incerta, de modo a torná-la controlada e simples. Isso permite crescimento incremental ao implementar mudanças pouco a pouco de modo a poder observar e controlar aquele pequeno pedaço realizado.

De maneira simplificada:

  1. você define o pequeno próximo passo;
  2. realiza o que foi definido;
  3. observa e avalia o resultado obtido;
  4. define e/ou redireciona o próximo pequeno passo;

O ganho real da técnica de Baby Steps está em realizar partes pequenas e úteis de uma ação, de modo reduzir a complexidade, garantir mais controle e menor esforço de observação sobre cada pedaço entregue.

Pensar em Baby Steps é basicamente pensar “Qual o menor próximo passo possível que eu posso dar em relação ao meu objetivo?” - Práticas de Startups que os e-commerces deveriam aplicar -

Num e-commerce, a maioria das ações envolvem muitas frentes, pessoas, parceiros e fornecedores, etc. Portanto, as práticas de startups que os e-commerces deveriam aplicar podem ser segmentar uma ação em Baby Steps com pequenas entregas, pode ajudar você a ditar ritmo mais claramente para os fornecedores e parceiros, a apresentar de maneira mais claras suas necessidades a cada entrega e a alcançar resultados mais satisfatórios.

Um exemplo: você deseja criar um canal de vendas do seu e-commerce dentro do Facebook. São vários passos até poder de fato oferecer um produto para seu cliente dentro da rede social. Requer criação do design, validação, desenvolvimento de software, testes, homologação, envolvimento de fornecedores, etc. Ao invés de fazer e liberar tudo de uma vez para seu cliente, aumentando as chances de falhas, você pode segmentar a funcionalidade e avaliá-las em partes.

Lembre-se de usar os Baby Steps em cenários onde não há muita confiança sobre o que precisa ser feito, bem como sobre o resultado a ser alcançado. As incertezas são mitigadas com a quebra do todo em pequenas partes observáveis. Com isso, cada passo torna-se uma nova conquista, assim como uma criança que aprende a andar!

Fonte. www.matera.com/br

Veja Também:

10 motivos para você criar seu e-commerce

Vendas sem limites: outro fator importantíssimo é que sua loja não terá fronteiras para vender. Limitações geográficas não serão empecilho. Se você mora no Piauí ou no Rio Grande do Sul… Continue Lendo Aqui

Você acabou de ler: Práticas de Startups que os e-commerces deveriam aplicar