Em um projeto, a discussão sobre  a possibilidade de adoção de uma plataforma de e-commerce open source deve ser pauta obrigatória, já que essa opção é adotada em operações de pequeno, médio e grande porte em todo o mundo.

Também conhecidas como lojas virtuais de código livre, as plataformas de e-commerce open source vem conquistando cada vez mais adeptos em função da sua tecnologia e altíssimo grau de customização.

O mercado internacional oferece atualmente dezenas de opções de plataformas de e-commerce open source, mas somente algumas delas estão plenamente adaptadas ao ambiente de comércio eletrônico brasileiro e suas peculiaridades.

Plataformas de e-commerce open source

(Plataformas de e-commerce open source) – O que são plataformas de e-commerce open source

As plataformas open source são sistemas de comércio eletrônico que são desenvolvido em sua grande maioria, por comunidades abertas de programadores que disponibilizam o código para download e utilização gratuita. Por esta característica estes sistemas passaram a ser conhecidos também como lojas virtuais gratuitas.

Por serem  qualificadas  como software de código aberto, essas plataformas podem ser estudadas, modificadas e aprimoradas por qualquer pessoa ou empresa que possua qualificação técnica para promover tais alterações. Isso fez com que se desenvolvesse uma verdadeira indústria em torno desses sistemas, tanto na área de prestação de serviço quanto no desenvolvimento de sistemas acessórios.

A primeira loja virtual open source a se tornas popular foi a osCommerce, na década passada. No rastro dessa iniciativa surgiram muitos outros projetos que se tornaram extremamente populares como Prestashop e mais recentemente o Magento.

(Plataformas de e-commerce open source) – Plataformas open source como opção para sua loja virtual

Um mito que foi criado em torno das plataforma de e-commerce open source é que elas são gratuitas e isso, as vezes acaba causando algumas decepções e problemas para o projeto. Como eu disse anteriormente, o código fonte do sistema pode ser baixado gratuitamente, mas dai a fazer ele funcionar é uma outra história.

O Magento, por exemplo, é uma plataforma incrível, mas também, uma das mais difíceis de instalar e configurar corretamente. Não é por  outro motivo que que existem diversas empresas especializadas em plataforma Magento. Essas empresas cobram pelo seu conhecimento e experiência de trabalho com esse tipo de plataforma, portanto a classificação como “lojas virtuais gratuitas”não é muito adequada.

O Magento, por exemplo, é uma plataforma incrível, mas também, uma das mais difíceis de instalar e configurar corretamente. Não é por  outro motivo que que existem diversas empresas especializadas em plataforma Magento listadas aqui no Guia de E-commerce. Essas empresas cobram pelo seu conhecimento e experiência de trabalho com esse tipo de plataforma, portanto a classificação como “lojas virtuais gratuitas”não é muito adequada.

(Plataformas de e-commerce open source) – Vantagens das plataformas de e-commerce open source

Uma das grandes vantagens das plataformas open source é seu constante processo de atualização, uma característica clássica desse tipo de plataforma. As comunidades de desenvolvedores e empresas que os apoiam estão em um processo constante de atualização e desenvolvimento de novas funcionalidades para o sistema, o que trás uma enorme vantagem para que adota esse tipos de solução.

Nos últimos tempos esse processo de desenvolvimento tem influenciado inclusive outros modelos de plataformas de e-commerce, como é o caso do mercado de plataformas alugadas. Pressionados pelos constantes avanços das plataformas de e-commerce open source, os desenvolvedores de sistemas comercializados no formato SaaS, se viram forçados a incorporar imediatamente esses avanços em suas plataformas. Quem ganha com isso é o mercado como um todo.

(Plataformas de e-commerce open source) – As desvantagens das lojas virtuais open source

Como em tudo na vida, toda moeda tem dois lados e em termos de plataformas de e-commerce open source isso não é diferente. Uma das principais reclamações que eram feitas a respeito dessas plataformas dizia respeito a dificuldade de incorporação de novas funcionalidades.

Atualmente, dependendo da plataforma que você adota, essa desvantagem das plataformas de e-commerce open source praticamente não existe, haja visto que sistemas como Magento, PrestaShop e WordPress são modulares e por isso, se você quiser desenvolver uma função nova, basta criar um plugin e o problema está resolvido.

Acredito que a grande desvantagem das plataformas de e-commerce open source em relação as plataformas alugadas, por exemplo, está na questão de TI. Como esse tipo de plataforma não possui suporte direto, você deverá contar com um profissional ou empresa especializada para garantir o suporte à loja.

Outra questão de TI importante que envolve esse tipo de plataforma é o provedor de hospedagem para a loja virtual. Sistemas mais sofisticados necessitam de servidores de alto desempenho, como no caso da hospedagem da plataforma Magento. Por isso, é essencial contratar um provedor de hospedagem que realmente suporte um sistema desse porte.

Quando você estiver planejando sua loja virtual, não deixe de avaliar a possibilidade de adoção de uma plataforma de e-commerce open source, pois elas estão certamente entre as plataformas mais viáveis para o seu comércio eletrônico.

Fonte: guiadeecommerce.com.br

Veja Também:

O que é Magento – Conheça a plataforma de e-commerce Magento

Se você ainda não sabe o que é Magento e está pensando em criar uma loja virtual, para tudo que está fazendo e leia este artigo… Continue Lendo Aqui

Você acabou de ler: Plataformas de e-commerce open source